2019/06/23

Tempos de Solidariedade com os Heróis

Em três penadas: Duas centenas de Seres Humanos, com S's e H's muito grandes, fizeram-se ao mar para salvar vidas(1). Arriscaram as suas e salvaram cerca de catorze mil. Salvaram catorze mil homens, mulheres e crianças. Cada um destes heróis salvou setenta pessoas. Um punhado de Seres Humanos resgatou da morte certa, no mar que liga a costa do sofrimento à terra do pão e do mel, catorze mil vidas de outros tantos seres humanos.(2)(3)

Meses depois, um bando de animais raivosos processou em tribunal os Seres Humanos por estes não terem deixado morrer no mare nostrum mais 14 000 homens, mulheres e crianças.(4)(5)

A comunidade internacional ainda não prendeu os animais raivosos. O TPI ainda não os processou por crimes contra a humanidade, ainda nem sequer começou a investigar os mandantes. A Itália ainda não está debaixo de pesadas sanções por promover a indiferença perante a vida humana. Os italianos que votaram nos animais raivosos ainda não morreram amarelos de vergonha. E nós? Vamos ficar calados? A ver os Heróis arrastados pelos tribunais da ideologia dominante?

Raras são as pessoas que actualmente me inspiram profundo respeito e admiração, um Lula da Silva (6), um Julian Assange (7), e agora, mais que todos, o Miguel Duarte. O Miguel e os outros 199 heróis, todos, estes 200, estas 16 tripulações que entre Junho de 2016 e Agosto de 2017 puseram no mar 200 homens e mulheres, mulheres e homens que agora estão a ser culpabilizados por terem salvo vidas humanas. Salvar vidas não pode ser um crime.(8)

Nesta vergonhosa sucessão de actos estão bem representados os dois extremos da cadeia alimentar. De um lado, uma mão cheia de animais raivosos sem princípios ou moral, do outro, duas centenas de seres que todos os idosos gostariam de ter sido, todos os adultos gostariam de ser e todas as crianças ambicionam vir a ser quando um dia chegarem à juventude. Não encontro melhor e mais consensual exemplo de heróis que teremos de medalhar mais cedo do que mais tarde.(9)(10)

Ficava-nos bem, era bonito homenagear o que de melhor, mais solidário, mais generoso o país tem para dar.

@Refer&ncia, #MiguelDuarte, #IUVENTA, #Imigração, #Refugiados, #JulianAssange, #MiguelDuarteHerói, #SolidariedadeInternacional, #Solidariedade, #Migrações, #Migrantes, #SolidariedadeComOsRefugiados, #TodosHerois, #SalvarVidasNãoÉCrime

O Grito
(Nuno Ramos de Almeida, wort.lu, 2019/06/19)

Há muito que a política de Estado de muitos países europeus é o assassinato dos migrantes que tentam chegar à Europa.

São dezenas de milhares de pessoas que morrem todos os anos ao tentar atravessar o Mediterrâneo em busca de uma vida melhor. Essas crianças, homens e mulheres fogem de países devastados pela guerra e por uma economia mundial que dá quase tudo a muito poucos e retira ainda mais à maioria da população do mundo.

No planeta é normal exportar capitais, deslocalizar trabalho, comprar quotas de poluição em países pobres. O capital e o lucro são livres, mas os miseráveis do mundo devem ficar longe do mundo rico protegidos por muros crescentes e por mares tornados propositadamente assassinos.

O processo contra o jovem português Miguel Duarte e os seus companheiros da embarcação Iuventa, da ONG alemã Jugend Rettet, é supostamente pelo crime de “apoio à imigração ilegal”, mas na realidade o seu “crime” foi ter ajudado a salvar de uma morte certa por afogamento quase 14 mil pessoas. Há muito que a política de Estado de muitos países europeus é o assassinato por terceiros – sejam eles mares alterados ou ditaduras amigas no Terceiro Mundo – dos migrantes que tentam chegar à Europa.

Os governos fecham os olhos, mas os ativistas não. Dai a necessidade que o governo italiano, com o silêncio cumplice dos seus sócios europeus, tem de criminalizar a solidariedade. São estas poucas centenas de pessoas que com a sua vontade têm impedido este massacre escondido e silenciado.

Sirva este processo, o exemplo do Miguel e dos seus companheiros, como forma de abrir os olhos à população de uma Europa que não é capaz de dar a mão aos povos que muitas vezes levou para guerras sanguinárias. Como disse numa entrevista Miguel Duarte, “quando vejo uma pessoa a morrer afogada não lhe pergunto se tem passaporte. Tiro-a da água”.

Mas há outras perguntas que luxemburgueses e portugueses devem fazer, a mesma que levou ao ministro luxemburguês Dan Kersch ameaçar demitir-se, caso o Luxemburgo apoie mais uma vez uma ação militar dos EUA, desta vez contra o Irão. “Não, não e ainda não à guerra contra o Irão”, escreveu o luxemburguês no seu mural de Facebook.

Afeganistão, Líbia, Iraque, Síria e tantos outros países atacados com falsos pretextos são a demonstração que as intervenções humanitárias do Ocidente apenas servem para trocar déspotas, matar milhões de pessoas e mudar as petrolíferas que exploram esses países.

Na véspera de uma nova guerra, cabe também a todos nós fazer algo para a parar, para a tornar inadmissível e impedir que mais centenas de milhares morram a fugir para a Europa.


(1)«Um total de 16 tripulações com mais de 200 membros - voluntário de diversos países da UE - trabalharam a bordo do IUVENTA entre Junho de 2016 e Agosto de 2017» «A total of 16 crews with more than 200 crew members – volunteers from several EU countries – worked on board the IUVENTA between June 2016 and August 2017.» (https://solidarity-at-sea.org/crew/)
(2) «JUGEND RETTET is a network of young people who have organized themselves to fight against dying in the Mediterranean. We bought a ship, the IUVENTA, and have already saved more than 14,000 people from distress. In this way, we are countering the humanitarian catastrophe and collective European failure.» https://jugendrettet.org/en/
(3) «Miguel Duarte juntou-se, em 2016, à Jugend Rettet, uma organização alemã que, juntamente com outras organizações não-governamentais, foi responsável pelo resgate de 14 mil pessoas que embarcavam na Líbia com destino à Europa. Em 2017, o Ministério Público italiano arrestou o navio Iuventa, onde Miguel fazia as missões e, um ano depois, como o PÚBLICO noticiava, o activista foi notificado, juntamente com outros nove membros da tripulação, de que tinham sido constituídos arguidos e estavam sob investigação por auxílio à imigração ilegal.»(https://www.publico.pt/2019/06/17/p3/noticia/miguel-duarte-1876705)
(4) «CRIMINALISATION OF SEA RESCUE -The aim of European migration policy is to close the humanitarian corridor. In order to achieve this, the NGOs active in the Mediterranean will be kept from rescue operations. The situation escalated in a campaign of slander and criminalisation, which falsely accused us of co-operation with smugglers. As a rescue organisation, we observe the instructions of the responsible authority, the Maritime Rescue Coordination Centre, in Italy. Our rescue missions are based on international maritime law and are based on internationally recognised humanitarian principles. The Italian prosecutor's office uses statements and accusations from right-wing circles with the intention of sealing off fortress Europe even more brutally at its external borders. Dubious evidence from the sphere of the right-wing extremist Identitarian movement is used in the politically motivated campaign against the NGOs.
(5)«On the 1st of August, the Italian Maritime Rescue Coordination Centre (MRCC) ordered the IUVENTA to Lampedusa. Subsequently, it was seized by Italian authorities. The day before, we refused to sign the so-called Code of Conduct of the Italian government, which would have forced us to break international maritime law.» (https://jugendrettet.org/en/)
(6)«[...]Solidária com Julian Assange, por exemplo. Solidária com o Homem que teve a coragem de denunciar crimes de guerra e que por isso pode ser extraditado para um país totalitário, com pena de morte, prisão perpétua, onde dois partidos alternam no poder vai para mais de 150 anos e os presidentes nomeados têm menos votos do que os derrotados em eleições consecutivamente manchadas por chapeladas.(https://referenciasemmais.blogspot.com/2019/06/tempos-de-luta-e-solidariedade.html)
(7)«[...] Solidária também com Lula da Silva. Solidária com Homem que liderou o Brasil de país terceiro mundista a potência emergente dos BRIC, liderou governos que arrancaram milhões à pobreza(11) e por isso foi condenado sem provas por um juiz que instruiu o processo, julgou o condenado e, veio agora a saber-se, comandou os procuradores quando estes procediam às investigações.» (https://referenciasemmais.blogspot.com/2019/06/tempos-de-luta-e-solidariedade.html)
(8) «Nada de que se arrependa: “salvar vidas não pode ser um crime”, sublinha [Miguel Duarte], revelando que esse é também o slogan da campanha de angariação de fundos para defender os 10 arguidos do processo, lançada esta semana pela Humans Before Borders, plataforma de ação e sensibilização relativamente ao tratamento desumano e ilegal que os migrantes estão a receber ao tentarem atravessar o Mediterrâneo. » (http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2019-06-15-MiguelDuarte-o-portugues-acusado-de-ajuda-a-imigracao-ilegal-salvar-vidas-nao-pode-ser-um-crime)
(9) «A missão dos agentes de socorro em teatros de guerra constitui um genuíno testemunho da luta pelos tão maltratados e hipocritamente propagandeados Direitos Humanos. » (https://www.abrilabril.pt/internacional/herois-sem-rosto)
(10) «Miguel Duarte participou no salvamento de milhares de refugiados no Mar Mediterrâneo. Agora, juntamente com outros nove tripulantes do barco de resgate Iuventa, é arguido em Itália numa investigação de auxílio à imigração ilegal, enfrentando até 20 anos de prisão e custos legais com a defesa estimados nos 500 mil euros. Lançou neste mês o crowdfunding "Salvar vidas não é um crime" para angariar fundos para a sua defesa e para sensibilizar a opinião pública para o drama que se vive no mediterrâneo central» (https://www.noticiasmagazine.pt/2019/o-miguel-salvou-milhares-de-vidas-agora-e-ele-que-precisa-de-ajuda/)

2019/06/20

Tempos de Luta e Solidariedade

Estamos a atravessar tempos negros, muito negros, tempos que exigem um ainda maior empenho numa luta diária e solidária.

Solidária com Julian Assange, por exemplo. Solidária com o Homem que teve a coragem de denunciar crimes de guerra(1)(2)(3) e que por isso pode ser extraditado para um país totalitário, com pena de morte(4)(5), prisão perpétua(6)(7), onde dois partidos alternam no poder vai para mais de 150 anos(8) e os presidentes nomeados têm menos votos do que os derrotados(9) em eleições consecutivamente manchadas por chapeladas(10).

Solidária também com Lula da Silva. Solidária com Homem que liderou o Brasil de país terceiro mundista a potência emergente dos BRIC, liderou governos que arrancaram milhões à pobreza(11) e por isso foi condenado sem provas por um juiz que instruiu o processo, julgou o condenado e, veio agora a saber-se, comandou os procuradores quando estes procediam às investigações.(12)

Vivemos grandes democrataduras criadas por décadas de democratações. Há que enfrentar os democratadores em todas as trincheiras agora que ventos de mudança se levantam.

#LulaLivre #FreeAssange #DontExtradictAssange #Lula #VazaJato #JulianAssange

Agora É Lula Livre Já
(Dilma Roussef, 2019/06/13)

Comando do juiz sobre procuradores da Lava Jato impõe anulação do julgamento

A reportagem do “Intercept” está revelando, por meio da transcrição indesmentível de conversas em aplicativos, aquilo que muitos já sabiam, mas que agora restou provado e documentado: o ex-juiz que condenou Lula comandava a força-tarefa de procuradores da Lava Jato, o que contraria frontalmente a lei. Segundo o artigo 254 do Código Penal, um juiz será considerado suspeito e deverá ser afastado, a pedido do réu ou do acusador, caso se descubra que ele aconselhou uma das partes do processo que vai julgar.

2019/06/13

Os EUA Afundam Barcos Desde 1898

Mais cedo do que mais tarde vir-se-à a saber que a mão por trás dos atentados de hoje no golfo de Omã é estado-unidense, resta saber se a comunidade internacional vai reagir a tempo de evitar outro banho de sangue provocado pelo sempre beligerante Pentágono, ou se vai alinhar com o embuste trumpista, mais uma vez, fazendo de conta que acredita no inacreditável.

A lista de embustes estado-unidenses que já custaram milhares de vidas é tão longa que só pode acreditar quem quer ser enganado, outra vez:

Lembram-se do camião com "ajuda militária" que o "malvado" governo venezuelano incendiou? Exactamente, como ficou provado em video, o incendiário foi "um" criminoso guarimbista, apoiante do pró-consul Guaidó, a quem o coktail molotov "escorregou" da mão para aterrar em cima do camião com a "ajuda militária" do Trump.(1)

Lembram-se do bombardeamento com cloro que o malvado Hassan teria perpetrado sobre Douma? Precisamente, ficou agora provado ter sido obra teatral levada à cena pelos holywoodescos capacetes brancos(2) pagos pelos EUA.(3)(4)

Lembram-se do avião Malaio que os EUA acusam a Rússia de ter abatido sobre a Ucrânia? Afinal o primeiro ministro malaio também tem sérias dúvidas sobre os resultados da investigação a que os holandeses não o deixaram ter acesso e em que as testemunhas vão de férias e nunca mais voltam.(5)

Lembram-se das armas de destruição maciça do Saddam que serviram de pretexto para a segunda guerra do golfo? Lembram-se do Collin Powel a agitar um frasquinho azul na ONU? Exactamente, nunca existiram!(6)(11)

Lembram-se do massacre de Srebrenica que serviu de pretexto para bombardear e destruir a Jugoslávia? Parece que afinal foi na Krajina e levado a cabo pelos bósnios sobre os sérvios, pelo menos é o que diz o Coronel português que estava lá na altura ao serviço da ONU.(7)

Lembram-se do incidente do Golfo de Tonkin? Lembram-se desse, já longínquo, pretenso ataque de duas lanchas vietnamitas a dois torpedeiros norte americanos que serviram de pretexto para o EUA começarem a bombardear o Vietname do Norte numa guerra que, passadas várias centenas de milhares de mortos, acabaram por perder? Pois foi, e não foi a estreia.(8)

Lembram-se do afundamento do Maine ao largo de Cuba em 1898? Exactamente, tudo indica ter sido um naufrágio aproveitado por Rudolph Hearst para vender mais jornais.(9)(10)

E a lista de embustes nem está completa.

2019/06/11

Sobre as Conclusões da reunião do CC do PCP de 28/5

Caríssimos amigos, companheiros e camaradas, só está autorizado a ler este post quem primeiro leia os 36 000 caracateres de conclusões da reunião em epígrafe! Pois!

Queridos camaradas, os 36 000 caracteres da resolução do CC suscitam-me as seguintes elocubrações:

1. Vocês fazem-me falta.

2. Infelizmente não me parece haver condições objectivas para revoluções a curto médio prazo, mesmo que tenhamos de continuar a fazer por isso, também a bem da humanidade e de um desenvolvimento sustentável.

3. Eu preciso do PCP e concordo com o PCP nas questões laborais, económicas e financeiras e por isso ainda consigo continuar a votar no PCP.

4. Eu vejo no PCP uma grande deriva conservadora em tudo o que sobre o mundo moderno o confronta (touradas e animais, morte assistida, drogas, prostituição, turismo, ecologia, etc, etc, etc) e/ou uma enorme incapacidade para fazer passar a nossa mensagem.

5. Eu acho que precisamos todos (urgentemente) de debater muito e conversar muito sobre muitos destes e de outros temas por forma a que as posições e propostas do PCP em todas essas áreas sejam suficientemente sólidas, pelo menos tão sólidas como as que já tivemos sobre a IVG, as Artes e o Trabalho quando encabeçávamos o que de humanista e progressista havia no mundo.

6. Produzir 36 000 caracteres de resoluções em menos de 24 horas não me parece que possa reflectir as grandes, profundas e leninistas discussões de outras reuniões de outros comités centrais que fizeram progredir este e outros partidos comunistas noutros e recuados tempos e deram origem a verdadeiras transformações.

7. Não encontro nessas conclusões nenhum apelo explicito a linhas de actuação e/ou formas de trabalho que possam inflectir os maus resultados das duas últimas eleições.

Para terminar deixo-vos dois pedidos.

Peço-vos que confrontem as duas páginas com 20 parágrafos de letras gordas saídas das reuniões dos partidos comunistas nos primórdios do século XX com as vinte páginas de profunda e verborreica análise da sua fase de estagnação estalinista. As primeiras eram lidas e discutidas e serviram para qualquer coisa, as outras profundas análises deram no que deram.

Peço-vos que dêem alguma formação aos funcionários amigos, companheiros e camaradas sobre "intervenção em redes sociais", enfim, um pouco do que o Bannon também faz lá na academia dele em Itália porque a verdade é que a direita sabe promover campanhas nas redes sociais e infiltrar-se nas vossas páginas e vocês ainda não sabem fazer passar a vossa mensagem nestes novos ciberespaços.

Um abraço e cá estaremos para, também em Outubro, dar mais força à CDU ;-)

PS (salvo seja :-): sabem porque é que perdemos 200 000 votos com o melhor candidato que tivemos até hoje? O mais explicito, o mais cristalino, o mais assertivo no discurso? Porque os "vossos" voluntaristas camaradas estalinistas acham que "quanto-pior-melhor" e centralismo democrático tá bem tá bem, mas é para os outros ;-)

2019/06/09

Na Argentina A Luta Ferve em Neoliberalismo

Esta semana foram milhares de pessoas nas ruas de Buenos Aires em protesto contra a visita de Bolsonaro à Argentina(1). Eram dezenas de milhar a gritar «Fora Bolsonaro, fora o imperialismo da América Latina» acusando-o de ameaçar a democracia no continente. Viram nas têvês? Eu também não.

O povo argentino manifesta-se há mais de seis meses, nas ruas, contra a escalada neo liberal(2)(3)(4) de um presidente embrulhado em corrupções várias(5). Sobre isto, nos media corporativos, nem uma palavra.

Trabalhadores da TV pública argentina queixam-se de censura(6) e os colegas portugueses não dão por nada. Imaginem se fosse no outro país ali na ponta norte da mesma américa do sul.

Milhares de argentinos reagiram ao apelo de várias organizações sociais para exigir nas ruas a declaração de emergência alimentar(7) num país sob intervenção do FMI onde só durante 2018 foram despedidas 69 mil pessoas(8). Sabiam? Exactamente como eu, só os media alternativos falam no assunto, os corporativos silenciam esta como muitas outras lutas por esse mundo fora.

O Guaidó espirrou numa teleconferência com o grupo "da" lima e foi noticia por esse país fora.

Só eu é que vejo aqui um enviesamento (des)informativo orquestrado por Agências de Informação Centralizada?

2019/06/08

A Derrota da Saúde Privada

A policia judiciária acampou à porta do hospital de cascais para recolher provas de que alegadas burlas praticadas pela gestão privada dessa parceria para os privados da saúde terão lesado o estado em dezenas de milhões de euros(1)(2)(3).

O Hospital de Vila Franca de Xira andou 4 anos a internar doentes em casas de banho e refeitórios(4)(5) "adaptados" para enfermarias da parceria para os privados da saúde.

A gestão privada da parceria para os privados do Hospital de Loures expurgou da saúde pública as consultas de acompanhamento de pacientes para evitar multas(6)(7)(8).

Depois de 5 anos no governo a roubar o SNS, despedir médicos e enfermeiros, desestruturar carreiras e subcontratar "profissionais" nas agências de precários(9), a Cristas do CDS quer que os contribuintes paguem aos hospitais privados consultas para pacientes com atrasos no SNS.(10)

Onde? Em Cascais, Loures ou Vila Franca de Xira?

Mas ainda há quem acredite que o "Privado é qu'é bom"?

2019/06/06

Regressaram a Cuba os Médicos que Ajudaram Moçambique

Uma ilha cercada de imperialismo por todos os lados consegue uma sobre produção anual de médicos que exporta(1) como fonte de divisas para onde os podem pagar e gratuitamente sempre que lhos pedem os mais necessitados(2) ou catástrofes ambientais requerem meios excepcionais(3)(4).

A História começou a 23 de maio de 1963 quando cerca de 50 profissionais de saúde foram para a Argélia colmatar as necessidades deixadas pela fuga dos colonos franceses aquando da independência. Hoje Cuba é o país com mais médicos per-capita(5) , isto apesar do boicote e do bloqueio estado-unidense a que nem a união europeia sabe ou quer fazer frente.

Quando lhe falarem de Cuba pergunte-se sempre que outro país exporta médicos? Saúde? Paz? Solidariedade?

Viva Cuba!

2019/06/01

A Espuma das Europeias

A desconstrução dos 49% de abstenção, o valor real dos 200 neofascistas com assento à mesa do capital e a antecipação das negociatas entre os empregados dos donos-disto-tudo pelas reais prebendas do poder europeu. Um contributo para compreender melhor os antros do poder que vai mandar na nossa economia e na politica nacional durante os próximos 5 a 10 anos. @Refe&ncia

União desunida e alheada
(José Goulão, AbrilAbril, 2019/05/30)

Com as recentes eleições europeias, os dois grandes pilares (sociais-democratas e conservadores) em que tem assentado a política autoritária e austeritária da União Europeia sofreram um abalo relevante.

O instantâneo da União Europeia obtido pelas eleições para o Parlamento Europeu é o de uma entidade cada vez mais desunida e desafinada, incapaz de cativar metade dos eleitores, chocando o ovo da serpente nazifascista e onde os fundamentos do próprio poder, tal como tem existido, estão a ser seriamente corroídos. Uma caricatura de democracia.

2019/05/24

Quatro Perigosos Malucos

O Mundo nas Mãos de um Triunvirato Fascista
(José Goulão, O Lado Oculto, 2019/05/22)

A humanidade e o planeta estão nas mãos de um triunvirato de energúmenos, indubitavelmente potenciais serial killers, que rodeiam o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Não há qualquer maneira de dourar a pílula. Michael Pence, vice-presidente, Michael Pompeo, secretário de Estado, e John Bolton, conselheiro de Segurança Nacional associam mentalidades políticas fascistas a comportamentos em realidades paralelas nas quais a vida humana não tem qualquer valor. São eles que contribuem decisivamente para as atitudes do presidente em matérias sensíveis como são a guerra e a paz, as relações internacionais e a prática imperial.

Elemento ainda mais inquietante: foi este trio que veio dar estabilidade à administração Trump. Até ao momento em que passou a agir institucionalmente no gabinete oval da Casa Branca a equipa presidencial fora inconstante, sucederam-se os afastamentos e as demissões, mesmo nos cargos mais relevantes. Depois disso, há exactamente 13 meses, o trumpismo assentou, definiu-se, passou a ter mais iniciativa e não serão necessários esforços de análise para concluir que o mundo e os seres humanos estão hoje bastante mais ameaçados.

2019/05/21

Palestina Livre!

Até ao último dos palestinianos
(José Goulão, AbrilAbril, 2019/05/16)

A chamada «comunidade internacional» parece disposta a continuar a assistir à Nakba até à extinção do último palestiniano, triunfo supremo do terrorismo militar, político, diplomático e mediático.

O que está em curso há mais de setenta anos contra o povo palestiniano é um genocídio. Bárbaro. Impune. Ignorado. Branqueado por uma «comunidade internacional» que repudia o próprio direito pelo qual deveria guiar-se; e por uma comunicação social absorvente e totalitária que tomou conscientemente o partido dos genocidas, pelo que chega ao comportamento perverso de acusar as vítimas de práticas terroristas.