2019/06/09

Na Argentina A Luta Ferve em Neoliberalismo

Esta semana foram milhares de pessoas nas ruas de Buenos Aires em protesto contra a visita de Bolsonaro à Argentina(1). Eram dezenas de milhar a gritar «Fora Bolsonaro, fora o imperialismo da América Latina» acusando-o de ameaçar a democracia no continente. Viram nas têvês? Eu também não.

O povo argentino manifesta-se há mais de seis meses, nas ruas, contra a escalada neo liberal(2)(3)(4) de um presidente embrulhado em corrupções várias(5). Sobre isto, nos media corporativos, nem uma palavra.

Trabalhadores da TV pública argentina queixam-se de censura(6) e os colegas portugueses não dão por nada. Imaginem se fosse no outro país ali na ponta norte da mesma américa do sul.

Milhares de argentinos reagiram ao apelo de várias organizações sociais para exigir nas ruas a declaração de emergência alimentar(7) num país sob intervenção do FMI onde só durante 2018 foram despedidas 69 mil pessoas(8). Sabiam? Exactamente como eu, só os media alternativos falam no assunto, os corporativos silenciam esta como muitas outras lutas por esse mundo fora.

O Guaidó espirrou numa teleconferência com o grupo "da" lima e foi noticia por esse país fora.

Só eu é que vejo aqui um enviesamento (des)informativo orquestrado por Agências de Informação Centralizada?



(1) «Milhares de argentinos vincaram repúdio pela visita de Bolsonaro - Na Praça de Maio, teve lugar aquilo que a Prensa Latina designa como um grande festival contra o imperialismo e os governos neoliberais. Para além da intervenção do senador Solanas, uma multidão ouviu ainda as de Nora Cortiñas (das Mães da Praça de Maio – Linha Fundadora) e as de representantes sindicais, de partidos políticos, de organizações sociais e de activistas brasileiros residentes na Argentina.» 2019/06/07 (https://www.abrilabril.pt/internacional/milhares-de-argentinos-vincaram-repudio-pela-visita-de-bolsonaro)
(2)«Tanto os deputados da oposição como os milhares de manifestantes que se juntaram no exterior do Congresso, em Buenos Aires, acusaram o governo de apresentar uma proposta de orçamento «absurda e irracional», de «grande austeridade», feita para satisfazer as imposições do FMI, a troco de um empréstimo de 50 mil milhões de dólares ao país.» 2018/10/25 (https://www.abrilabril.pt/internacional/orcamento-do-fmi-passa-na-camara-dos-deputados-argentina)
(3) «Depois de várias decisões judiciais que consideram ilegal o despedimento de funcionários da Télam – a última das quais, decretada ontem, ordenou a reintegração de 12 trabalhadores filiados num sindicato da imprensa –, prevê-se que o responsável do Sistema Federal de Meios de Comunicação Públicos, Hernán Lombardi, compareça hoje perante uma comissão no Congresso para explicar o despedimento de cerca de 40% dos trabalhadores da Télam, que conduziu ao fim da presença de vários correspondentes no estrangeiro.» 2018/08/14 (https://www.abrilabril.pt/internacional/trabalhadores-da-agencia-argentina-telam-continuam-em-luta)
(4) «A greve na Função Pública, convocada pela Associação de Trabalhadores do Estado (ATE), fez-se sentir esta quarta-feira em toda a Argentina, tendo havido mobilizações nas ruas da capital, Buenos Aires, e em províncias como Santa Fé, Missões, Chaco, Corrientes e Terra do Fogo.» 2018/09/13 (https://www.abrilabril.pt/internacional/paralisacao-dos-funcionarios-publicos-sentiu-se-em-toda-argentina)
(5) «Diz-nos Débora Mabaires n'O Lado Oculto que «O governo de Maurício Macri não consegue conter a enxurrada de imundície do maior caso de corrupção da história argentina [...] quando altos funcionários do Poder Judiciário, em conivência com o governo, organizam um processo penal extorquindo empresários para incriminar ex-funcionários do governo de Cristina Kirchner»» (https://referenciasemmais.blogspot.com/2019/02/argentina-atolada-em-chantagem-e.html)
(6) «Os trabalhadores da Televisión Pública de Argentina, conhecida como Canal 7, alertaram esta segunda-feira para a prática de «censura» no canal estatal, tendo denunciado que responsáveis pediram explicações a um apresentador que, num noticiário, chamou «presidente autoproclamado» ao membro da extrema-direita venezuelana Juan Guaidó, bem como a «perseguição» aos jornalistas que não seguem um discurso alinhado com o do governo de Mauricio Macri.» 2019/05/21 (https://www.abrilabril.pt/internacional/trabalhadores-da-tv-publica-argentina-denunciam-censura)
(7) «Diversas organizações promoveram uma jornada nacional de protestos para exigir ao governo argentino que «declare a emergência alimentar» e trave «o aumento da fome» entre as camadas mais desfavorecidas» 2018/11/08 (https://www.abrilabril.pt/internacional/organizacoes-sociais-exigem-emergencia-alimentar-na-argentina)
(8) «Mais de 69 mil despedimentos na Argentina em 2018 - De acordo com o relatório publicado esta quarta-feira pelo Centro de Economia Política Argentina, só em Novembro e Dezembro foram despedidos ou suspensos do seu posto de trabalho 9727 trabalhadores.» 2019/02/07 (https://www.abrilabril.pt/internacional/mais-de-69-mil-despedimentos-na-argentina-em-2018)

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário ficará disponível após verificação. Tentaremos ser breves.