2018/10/24

Os Jornaleiros de Sarjeta

Ranking da Sarjeta
(Jorge Alves, 30/08/2018)

1º – Correio da Manhã (FAKE NEWS, perseguição a pessoas, violação de leis)
2º – CMTV (FAKE-NEWS, perseguição a pessoas, violação de leis)
3º – Sol (FAKE-NEWS, propaganda direita-radical)
4º – i (FAKE-NEWS, propaganda direita-radical)
5º – Redes sociais (ex: Facebook, Twitter) e exércitos de falsos-perfis dissiminadores de FAKE-NEWS e propaganda.
6º – Sic Notícias (FAKE-NEWS, propaganda direita-radical na manipulação de notícias)
7º – Expresso (FAKE-NEWS, propaganda direita-radical na manipulação de notícias)
8º – Sic (FAKE-NEWS, propaganda direita-radical na manipulação de notícias)
9º – Eco (propaganda direita-radical, na opinião e nas “notícias”)



10º – Observador (propaganda direita-radical na Opinião, manipulação de notícias)
11º – Jornal de Notícias (propaganda direita-radical na Opinião, manipulação de notícias)
12º – Sapo 24 (online que agrega manchetes FAKE-NEWS da maioria desta lista)
13º – O Jornal Económico (propaganda direita-radical na Opinião, manipulação de notícias, click-bait)
14º – Público (3 nomes: David Dinis (assessor Durão Barroso), João Miguel Tavares (opinador Trumpista), e Clara Viana (FAKE-NEWS ao serviço do lobby da negociata privada na Educação))
15º – Rádio Renascença (o catolicismo a fazer de conta que não há estado laico…)
16º – Jornal de Negócios (propaganda direita-radical na Opinião, click-bait e manipulação de títulos (desmentidos no texto das próprias notícias) em notícias cujo texto só está acessível a quem paga)
17º – Diário de Notícias / Dinheiro Vivo / TSF (manipulação de títulos, click-bait descarado)
18º – TVI 24 (excessivo sensacionalismo, chega a passar semanas sem um único opinador da área do BE, jornalismo de “investigação” que só tido falta de rigor, tem originado sensacionalismo e insinuações falsas (ex: direito de resposta do Instituto do Sangue DESMENTE e DESTRÓI reportagem inteira da TVI 24))
19º – RTP Notícias (falta de rigor, “manchetes” têm clara tendência política, usa demasiadas vezes como fontes de “notícias” (que costumam acabar corrigidas ou desmentidas com muito menos visibilidade) dos órgãos acima nesta lista. A quantidade de vezes que citam o Observador (e outros) dá nojo, que só pode ser explicado a gente de direita, dando como exemplo um telejornal inteiro a citar o Avante como fonte de “notícias”)
20º – TVI (o mesmo que TVI 24, mas em dose mais pequena)
21º – RTP (o mesmo que RTP Notícias, mas em dose mais pequena, antes do “trabalho” feito por Miguel Relvas e Miguel Poiares Maduro, a RTP (e a RTP N) ainda era isenta e séria q.b. para não figurar neste ranking, mesmo apesar da falta de profissionalismo e violações constantes do Código Deontológico levadas a cabo pelo José Rodrigues dos Santos – ao pinóquio crescia o nariz, a este crescem as orelhas… era um defeito de carácter individual, e não um problema generalizado no canal)

Suficientemente decentes para estarem fora deste ranking:
– Lusa (limita-se a ser fonte de notícias para restante comunicação social)
– Reuters (o mesmo que a Lusa, mas a nível Mundial)
– Euronews (canal sobre o que se passa na Europa, com isenção que é de admirar, num canal que teoricamente seria “europeísta”)
– Os Truques da Imprensa (página do Facebook dedicada a desmascarar os falsidades e manipulações dos presentes no ranking)

NOTA: o meu ranking (subjetivo) só conta a comunicação social difundida direta ou indiretamente em Portugal, excluindo revistas e jornais desportivos.
NOTA 2: a nível internacional, só como exemplo, a Fox-News seria o top da sarjeta, a Bloomberg estaria lá pelo meio, a CNN perto do fim, e o NYTimes estaria saudavelmente de fora do ranking


******************************************
Nota de @Refer&ncia:
Como jornalismo de @Refer&ncia e para quem queira andar bem informado sobre atualidade nacional e internacional deixo aqui o link para o AbrilAbril, o único jornal com coluna vertebral existente em Portugal.

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário ficará disponível após verificação. Tentaremos ser breves.